quarta-feira, 10 de março de 2010

Cantiga de Esponsais - Machado de Assis


Machado de Assis é conhecido pelos seus romances e contos brilhantes. "Cantiga de Esponsais" não foge à regra. O Conto tem como protagonista o melancólico Mestre Romão Pires, e o narrador pede que a leitora volte no tempo e imagine que está no ano de 1813 numa missa cantada regida por Mestre Romão, um homem de cabelos brancos, com mais ou menos sessenta anos, solitário ( os solitários estão também presentes em "Dom Casmurro", "Quincas Borba", "Memórias Póstumas de Brás Cubas", "Memorial de Aires").
Mestre Romão tem apenas como companheiro um escravo velho, chamado Pai José, embora o dono o considerasse muito, a escravidão não deixa de ser uma cracterística burguesa do século XIX.
A melancolia de Mestre Romão se deve ao fato dele não ter o dom da composição, embora fosse um ótimo músico, ele só sabia executar obras alheias, não era um grande criador de canções.
Trinta anos antes, quando Romão se casou, ele tentou escrever uma música para a esposa (isso explica o título), animado pela inspiração que parecia provir dos primeiros tempos de casado. Apenas algumas notas no papel, sem conexão, este foi o resultado da sua primeira experiência.
Como guardava o pepel desde aquele tempo, ao se ver próximo da morte, Romão decide pegá-lo novamente e tentar finalizar sua cantiga para a falecida esposa...quem sabe depois de muitos anos ela seria cantarolada por alguém?
Ao ver dois jovens recém-casados pela janela, a surpresa do músico é grande, já que, depois de desistir da canção, ele escuta a jovem apaixonada cantarolando as notas que ele sempre procurou para finalizar sua cantiga de esponsais. Naquela mesma noite, Mestre Romão morre.
O grande sonho de Mestre Romão era ter um dom considerado por ele maior que a música, o dom da composição, que para tantos é natural e para ele era uma missão impossível...embora aclamado pelos que o viam tocar e reger uma orquestra, o velho músico possuía uma dor imensa de ser apenas um reprodutor de canções escritas por outros, não sendo assim, um artista completo. Obsessão pela arte? Desejo de glória, de imortalidade? São questões apresentadas por Machado de Assis que através de sua literatura realista apresentada personagens intensos em situações comuns do cotidiano. Afinal de contas, qual seria a razão da melancolia de um homem solitário aclamado como regente?

6 comentários:

  1. Valeu. Me ajudou muito.

    ResponderExcluir
  2. Um poema muito lindo citado pelo grande mestre de arte que é nosso querido Machado de Assis,
    considerado um dos maiores escritores do Brasil ,uma grande pessoa que por muito tempo com seus conhecimentos Literarios ajudou os Brasileiros a entender o sentido da leitura.
    Ass: Profº João Lima.

    ResponderExcluir
  3. Um poema muito lindo citado pelo grande mestre de arte que é nosso querido Machado de Assis,
    considerado um dos maiores escritores do Brasil ,uma grande pessoa que por muito tempo com seus conhecimentos Literarios ajudou os Brasileiros a entender o sentido da leitura.
    Ass: Profº João Lima.

    ResponderExcluir
  4. Um poema muito lindo citado pelo grande mestre de arte que é nosso querido Machado de Assis,
    considerado um dos maiores escritores do Brasil ,uma grande pessoa que por muito tempo com seus conhecimentos Literarios ajudou os Brasileiros a entender o sentido da leitura.
    Ass: Profº João Lima.

    ResponderExcluir
  5. Um poema muito lindo citado pelo grande mestre de arte que é nosso querido Machado de Assis,
    considerado um dos maiores escritores do Brasil ,uma grande pessoa que por muito tempo com seus conhecimentos Literarios ajudou os Brasileiros a entender o sentido da leitura.
    Ass: Profº João Lima.

    ResponderExcluir
  6. Há uma diferença considerável de um conto para um poema.

    ResponderExcluir